sábado, 2 de junho de 2012

Amanhã outro dia.


Cansei de banhar,
Minha alma de silêncios.
Mesclar meu sorriso
De saudades.
E a cada dia,
Por caminhos tortos.
Tentar dormir no seu regaço.
Cobrir meu rosto, com o salgado
Gosto de passageiros momentos.
Cansei de sussurrar no seu ouvido-te amo!
Parto agora, das suas raízes.
A vida me ensinou,
Que mesmo nas ardentes
Areias do deserto.
Tem sempre á sombra
Tênue de novos luares.

Many Pallo
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário